Segurança Inteligente

Botão de Pânico se torna grande aliado contra insegurança no RJ

Posted by on 14 14UTC Nov 14UTC 2017 in Artigos | 0 comments

O botão do pânico começa a se espalhar por casas, condomínios, estabelecimentos comerciais, escolas e creches. Pode ser físico, como o do comerciante Osmar. Ou digital e gratuito, obtido por meio de aplicativos de celulares, como o Linha Direta PM, idealizado por um morador da Barra, e o Emergência RJ, da Secretaria de Segurança.

 

Além do controle de bolso, Osmar conta com dois outros botões do pânico: um debaixo de sua mesa de trabalho; o outro, num painel. Com uma chave inteligente, ele arma um sistema de alarme, para evitar arrombamentos à noite. Sensores instalados em pontos estratégicos mandam fotos para a central de monitoramento sempre que o botão de pânico ou o alarme disparam. São muitos dispositivos, que podem ser acionados inclusive pelo celular, por meio de um aplicativo. Contudo, o comerciante quer mais proteção:

– O que acontece na loja são furtos. Por isso, instalei 16 câmeras, que acompanho do meu escritório. Os vidros da sala são espelhados. Ninguém me vê, mas eu vejo quem circula. Se observo alguém tentando furtar algo, ligo a sirene que mandei colocar. O barulho é tão alto que a pessoa se assusta.

Já a advogada X, vítima de um assalto na madrugada do dia 8 do mês passado, tomou a decisão de instalar um kit com botões SOS em seu apartamento, em Botafogo. Como o bandido entrou pela sala, após escalar o muro de um edifício vizinho e passar pelo playground de seu prédio, X. colocou inclusive sensores magnéticos nas janelas. A iniciativa de instalar o kit foi copiada pelo seu condomínio, que achou por bem ampliar a segurança, até então limitada a câmeras.

– As câmeras ajudaram a identificar o bandido, que ficou oito minutos dentro do meu apartamento, enquanto dormíamos. Só ficamos sabendo do que ocorreu quando encontraram minha bolsa no play. Esse assaltante foi preso dias depois em flagrante, ao invadir outra casa. O que me deixa indignada é que ele foi solto no mesmo dia – lamenta a advogada.

Nas últimas duas semanas, três condomínios vizinhos, em Botafogo, instalaram kits com botões SOS. Todos os porteiros foram treinados para utilizar os equipamentos.

– Não ocorreu nada no meu prédio. Mas na rua, vi um assalto. Como o painel central do equipamento tem uma tecla que permite ligar para o 190, fiz isso – diz o zelador de um dos condomínios.

O valor de um kit básico com botão do pânico Alamaster custa R$79,90/mês. Saiba mais.

Orçamento Rápido