Num domingo de sol, em que os termômetros ultrapassaram os 30 graus, Copacabana, com suas praias, bares e restaurantes, parece o destino perfeito. No entanto, a realidade não tem se mostrado tão favorável assim para o bairro, que é o 1º no ranking de ataque a pedestres no Estado do Rio, de acordo com dados do Instituto de Segurança Pública (ISP). Neste domingo, um policial colombiano foi atacado e uma pessoa foi esfaqueada, após ser roubada por uma “gangue de travestis”.

Na madrugada deste domingo, Policiais Militares do 19ºBPM foram chamados, após desesperados pedidos de socorro na Avenida Atlântica. De acordo com os PMs, uma pessoa havia sido roubada e esfaqueada no local por três mulheres trans, identificada pela polícia como pertencentes à “Gangue dos travestis”, que, de acordo com a corporação, realiza diversos ataques na região. Os militares afirmaram que fizeram um cerco tático e o trio foi preso na Rua Bolivar, logo em seguida. Duas já tinham mandado de prisão em aberto, e o caso foi levado para a 13ªDP.

Mais tarde, já num convidativo cenário de sol e praia, a vítima foi um policial colombiano, que estaria no Rio a trabalho, em função da Copa América. De acordo com os agentes, um adolescente foi apreendido logo após arrancar o cordão do turista. O caso foi encaminhado à Delegacia Especial de Apoio ao Turismo.

Bem perto dali, já no fim da tarde, um taxista procurou homens do programa Rio+Seguro pedindo ajuda: ela havia visto um homem armado assaltando uma idosa na Rua Barata Ribeiro. Com a descrição das características do suspeito, os homens se dirigiram para as ruas Santa Clara e Tonelero e abordaram o homem, que batia com o que foi relatado pelo denunciante. Com ele, os agentes encontraram uma arma falsa e surpreenderam-se ao perceber que, em sua perna, já constava uma tornozeleira eletrônica: ele estava em condicional há apenas um mês.

Fonte: Extra